segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Desafios de Agosto e Surpresas e Maze Runner (Renata Lima)


Oi, gente, vamos falar dos desafios de agosto?

Os livros lidos desse mês estão classificados por cores (em azul o Desafio das Estrelas - no tema principal Estações do Ano, no tema extra livros que tivessem algo a ver com música no enredo, em rosa o Desafio do Skoob - tema bruxas/bruxos, em laranja o Clube dos Livrólatras - livro do mês escolhido por sorteio "Um Caso Perdido" e em preto os que li porque deu vontade). Os que tiverem resenha é só clicar no link para ser direcionado!

  1. "A Proposta" da Katie Ashley - Resenha
  2. "Verão Cruel" da Alyson Nöel - Resenha em breve
  3. "O Pedido" da Katie Ashley - Resenha na semana que vem!
  4. "Os Legados do Número Cinco" do Pittacus Lore - Resenha da Carlinha 
  5. "A Promessa do Tigre" da Colleen Houck - Resenha da Carlinha chegando!
  6. "Se eu Ficar" da Gayle Forman - Resenha
  7. "Na Própria Carne" (Sharp Objects) da Gillian Flynn - Resenha da Aline 
  8. "Um Caso Perdido" (Hopeless #1) da Colleen Hoover - Resenha essa semana!
  9. "A Festa" da Katie Ashley - Resenha na semana que vem!
  10. "Gathering Blue" (o livro #2 do Quarteto Doador, ainda não publicado no Brasil) da Lois Lowry
  11. "Where She Went (o livro #2 da série Se Eu Ficar, que será publicado no Brasil em outubro)
  12. "Losing Hope" (Hopeless #2, ainda não publicado no Brasil) da Colleen Hoover
  13. "Entre o Agora e o Sempre" da J.A. Redmerski - Resenha da Carlinha
  14. "Maybe Someday" da Colleen Hoover
  15. "Messenger" (o livro #3 do Quarteto Doador, ainda não publicado no Brasil) da Lois Lowry
  16. The Lost Files - Return to Paradise do Pittacus Lore
  17. The Lost Files - Five's Betrayal do Pittacus Lore
  18. "Maze Runner - Correr ou Morrer" (Maze Runner #1) do James Dashner - Próxima resenha!!!
  19. "Um Outono em River Falls" do Alexis Aubenque - Resenha em breve
  20. This Girl - (o livro #3 da série Métrica, ainda não publicado no Brasil) da Colleen Hoover
Os cinco estrelas de agosto foram: "Se eu ficar", "Um Caso Perdido",  "Losing Hope" (queria dar 6 estrelas, mas não pode!!!) e "Messenger". Como a proposta do blog é falar apenas dos livros já publicados no Brasil, minha resenha hoje vai ser de "Maze Runner: Correr ou Morrer", mas ainda esse mês eu falo dos outros livros que li em português!


"Maze Runner: Correr ou Morrer" é o primeiro livro da trilogia The Maze Runner escrita por James Dashner. Além dos livros oficiais, há também três livros complementares, um que seria um prólogo da série chamado "Ordem de Extermínio", outro que foi lançado entre o segundo e o terceiro livros chamado "Thomas’s First Memory of the Flare", ainda não publicado no Brasil e o último chamado "Maze Runner: Arquivos" que é uma compilação de documentos, e-mails e relatos. A ordem de lançamento aqui no Brasil é essa da foto abaixo.


No primeiro livro da série, conhecemos Thomas, um jovem que não tem memória e simplesmente acorda dentro de um elevador em uma espécie de campo chamado de Clareira. Lá, ele encontra outros jovens como ele que passaram pela mesma experiência, alguns até mais jovens que ele, como Chuck, que tem apenas 12 anos e passa a ser uma espécie de "guia" para Thomas e é quem o apresenta à Clareira e aos demais habitantes do local, também chamados de "clareanos".

Nossa Avaliação - 8.0
Confuso de início, Thomas precisa urgentemente se adaptar, mas ao ouvir os gritos de um jovem passando pelo que os clareanos chamam de Transformação depois de ser picado por um Verdugo, insetos mecânicos que vivem do lado de fora das paredes de pedra, ele se vê envolvido situações um tanto estranhas. Ben, o rapaz que está passando pela Transformação, enlouquece e faz afirmações um tanto desconexas dizendo que já conhece Thomas e que ele é um dos responsáveis por toda a situação que os meninos estão passando, presos no Labirinto. Mas Ben está tão fora de si que é expulso da Clareira, condenado a viver do lado de fora das paredes que se fecham todos os dias.

Mas eis que no dia seguinte da chegada de Thomas, algo inédito acontece: o elevador traz outro novato, dessa vez uma jovem que antes de desmaiar diz apenas uma frase: "tudo vai mudar" e em sua mão há um bilhete que diz "Ela é a última". E todo o problema começa quando Thomas acha que aquela garota lhe é muito familiar, assim como alguns elementos da Clareira.

Obrigado a se adaptar aos trabalhos desse novo mundo e sem poder falar com a garota, agora em coma, Thomas passa por uma espécie de integração, cada dia se juntando a um grupo de serviço, mas tudo que ele quer é ser um Corredor e percorrer o Labirinto do lado fora da Clareira em busca de uma saída e, quem sabe assim encontrar respostas que curem sua perda de memória.

Ao integrar-se mais com os Encarregados, entre eles Newt, Gally, Alby e Minho, líder dos corredores, Thomas passa a ser admirado por alguns e odiado por outros, mas nenhum deles ousa questionar a habilidade e a coragem que o rapaz tem para o trabalho de Corredor. Além de tudo, Thomas é um questionador e está sempre tentando achar respostas e contrariar as regras impostas pelos Criadores, as pessoas que idealizaram todo o Labirinto e que enviavam os mantimentos e os garotos com um intervalo de tempo determinado.

Mas as coisas estão prestes a mudar e, com a chegada da garota, os clareanos vão precisar se reorganizar e criar suas próprias regras para lidar com a situação que lhes é imposta.

Ao contrário de Jogos Vorazes e de outras distopias, confesso que o livro não me ganhou em um primeiro momento. A verdade é que eu já tinha tentado ler o livro duas vezes antes, mas sempre parava achando que ele não estava me interessando. Confesso ainda que eu só peguei o livro para ler esse mês porque a adaptação está chegando agora em setembro e eu sou dessas que não gosta de ver o filme sem ter lido o livro - salvo raras exceções, principalmente quando eu não sei que o filme é adaptado de um livro!

A história não é necessariamente nova, principalmente por se tratar de uma distopia, mas o diferencial de "Maze Runner", pelo menos para mim, é o fato de que esses jovens não têm memória e mesmo assim se adaptaram à reclusão, seguem todas as regras e são lembrados a todo o instante o que acontece com quem ousa desobedecer. Do começo ao meio do livro fiquei achando a falta de questionamento muito chato, mas depois me lembrei de como nós mesmos somos condicionados a certas atitudes, a certas convenções, ao conjunto de "regras" que nos permite viver em Sociedade. Ao abstrair dessas coisas, do meio para o final, eu já estava apaixonada pelos personagens, torcendo para que o desenrolar das revelações se desse de forma clara e que nenhum dos meus queridinhos enfrentasse um Verdugo e morresse nos meios das paredes de pedra do Labirinto.

Não vou dizer que amei o livro porque não chega a tanto, mas achei bem narrado, bem escrito, interessante e acima de tudo achei os personagens bem construídos. São todos meninos e apesar de um ou outro dar uma de "macho alfa" todos têm as suas fraquezas e seus momentos de "quero a minha casa, os meus pais, o que eu fiz para merecer estar aqui?". E o Chuck, meu Deus, que personagem fofo e cativante!

Os outros livros já entraram na minha lista de leitura desse ano, então assim que eu acabar o segundo, venho falar dele aqui para vocês!

Se eu vou ver o filme? Óbvio que sim!

E vocês? Que tal assistir ao trailer abaixo?



sexta-feira, 29 de agosto de 2014

A história de Cinco (Carla Cristina Ferreira)


Os fãs da série Os Legados de Lorien, de Pittacus Lore, não deixam passar um “capítulo” sequer da história complementar Os Arquivos Perdidos, uma série paralela aos livros que conta aspectos não desdobrados nos livros “oficiais”. Estes são lançados apenas em formato digital e são todos curtinhos.

Você pode encontrar todas as resenhas os lorienos aqui ou no campo PROCURO POR aqui do blog.

Atenção: Se você ainda não leu “A Queda de Cinco”, não leia este post, pois pode conter spoilers.

Nossa avaliação - 8.0
Recentemente foi lançado “Os Legados do Número Cinco” que conta a origem do traidor da Garde. Todos aqui ficamos chocados com o final surpreende de “A Queda de Cinco” e ficamos nos perguntando COMO e POR QUE Cinco foi capaz de trair seus companheiros tão a sangue frio depois de se infiltrar na Garde e conviver com eles, mesmo que por pouco tempo.

Bem, neste e-book começamos a perceber o que o levou a tomar partido dos Mogadorianos; conhecemos um pouco mais de sua vida escondido junto com o seu Cepân Rey e como aos poucos Cinco foi descobrindo seus legados, assim como aconteceu com os demais lorienos. Além disso, descobrimos como Cinco teve que se virar sozinho após a morte de seu Cepân e foi percebendo como ficou isolado do mundo, criando dentro si uma grande amargura por Rey e pela Garde.

Aos poucos Cinco vai acreditando mais e mais que foi abandonado à própria sorte pelos de sua raça, que os demais não se importam ou se preocupam com ele, que os Mogs podem ser apenas uma criação de seu Cepân para viverem isolados, que tudo não passa de uma espécie de contos de fadas.

Vivendo nas ruas de Miami, batendo carteiras para conseguir se alimentar, Cinco se depara com más influencias: humanos e alienígenas que irão mudar o seu destino.

O diferencial aqui é que descobrimos as motivações de Cinco para escolher ficar do lado dos Mogadorianos, traindo seus amigos a sangue frio: sua amargura, ambição, superioridade e desejo de poder são algumas delas.

Fique ligado, em breve serão disponibilizados mais dois Arquivos Perdidos: “De volta à Paradise” (livro complementar nº 8) e “A Traição do Número Cinco” (livro complementar nº 9) ambos com previsão de lançamento em setembro e novembro, respectivamente.


Ainda em novembro chega o quinto livro da série Os legados de Lorien: The Revenge of Seven (ainda sem título traduzido em português). É a Editora Intrínseca trazendo muitas novidades este ano!!!


quarta-feira, 27 de agosto de 2014

A nova "Rainha do Crime". Será? (Kelly Santos)

Nossa avaliação: 8.5
"A Princesa de Gelo", da sueca Camila Läckberg,  foi um dos super lançamentos da Editora Planeta do ano de 2010. O sucesso de suas obras a transformou na nova "rainha do crime", roubando a coroa da minha querida Agatha Christie e olha que esse é epenas seu livro de estreia!

Devo confessar que o que mais me atraiu para ler esse livro foi a capa: sou completamente influenciável pelas capas, e essa me conquistou, achei lindíssima.

O livro conta a história de Erica Falk, uma jovem biógrafa que guarda dentro de si um desejo imensurável de se tornar escritora, contudo suas histórias nunca engataram. 

De volta a Fjällbacka, sua cidade natal, após a morte trágica dos pais e ainda muito abalada pela perda, sentindo-se mais sozinha que nunca, Erica encontra o corpo de sua melhor amiga de infância na banheira de sua casa com os pulsos cortados. 

De início todos, incluindo a própria Erica, acreditam que se trata de um suicídio, mas aos poucos essa teoria se torna confusa, pois além de não haver motivos para a bela e rica jovem cometer tal ato, os laudos da autopsia revelam que outras condições a levaram à morte. Descobre-se que ela, na verdade, foi assassinada.

Tomada pelo desejo de desvendar todo o mistério que envolve a morte de Alex, Erica passa a investigar ao mesmo tempo em que o charmoso Patrik, um investigador de polícia que ela conhece desde pequena, entra em sua vida determinado não só a conquistá-la, mas também ajudá-la a montar todas as peças desse enorme quebra-cabeças. E ai é que as coisas ficam muito intensas e interessantes e, com o desenrolar da investigação, uma verdadeira caixa de Pandora é aberta na pequena cidade de Fjallbacka.

Com muito suspense, mistério e intriga, o leitor vai descobrindo aos poucos como uma cidade pequena pode esconder tanta podridão quanto as ruas sujas das grandes metrópoles e como as famílias locais podem guardar segredos obscuros, difíceis de carregar e impossíveis de esquecer. 

Camila Läckberg mostrou-se perita em montar e desmontar a personalidade dos personagens a ponto de não conseguirmos, até o final, descobrir quem é o assassino e como em uma única história pode haver mais de um culpado além daquele que puxou o gatilho.

Achei o livro super interessante, inteligente e envolvente. O romance entre Erica e Patrick é muito bonitinho.
Como esse livro na verdade é o primeiro de uma série, ainda veremos muito esses dois por ai!

Minha única critica é que em determinada parte senti que a autora deu uma enrolada, uma divagada meio chata que não prejudica, mas também não ajuda em nada. Há também um ou dois personagens que não fariam falta alguma e tornariam o livro menor e mais dinâmico, apesar de 400 páginas não serem tanta coisa, acho que poderia ser mais enxuto.

Apesar disso, o livro é muito bem escrito e com certeza continuarei com a série e lerei outras obras da autora para ver se concedo ou não a ela o posto de nova "Rainha do Crime" que, para mim, ainda pertence a Agatha Christie.

Aqui estão os livros da série já lançados no Brasil. Olhem só que capas lindas!!!

Livros da série Patrik Hedstrom (ou  Fjallbacka, como preferirem) em ordem.

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Quando viver ou morrer depende de você (Renata Lima)


Nossa Avaliação - 9.5
A vida de Mia era quase perfeita: ela tinha uma família unida e divertida, um namorado em vias de ser um astro do rock e ela mesma estava quase entrando em uma das mais prestigiadas escolas de música do mundo, a famosa Jiulliard. O que deveria ser um dia normal, termina em um acidente onde um caminhão bate no carro da família e a partir daí Mia revisita toda a sua vida em uma experiência extra corpórea narrada com uma delicadeza impressionante pela americana Gayle Forman!

Não, Mia não vê a luz, não vai para o céu, não vê anjos. Tudo que ela vê é o que acontece em volta do próprio corpo no resgate dos bombeiros, nas cirurgias, na UTI, e a partir dessa visão, Mia vai revisitando suas memórias e contando as histórias de seus pais, dos avós, do irmão, do namorado, da amiga.

Violoncelista e amante de música clássica em uma família de roqueiros e punks, Mia se vê como uma estranha dentro da própria família no sentido físico e musical. Ela não se parece com seus pais e irmão, não compartilha o gosto musical deles, mas em todo o livro não existe partes mais lindas do que as que ela narra sobre a família, sobre sua infância, sobre o nascimento do irmão. 

Enquanto pondera entre ficar e partir (como diz bem o título do livro), hora pendendo para uma escolha, ora para outra, as 24h pós-acidente passam a ser cruciais - e é por isso que o livro é dividido em horas, não em capítulos - para o leitor possa desenvolver uma relação de afeto, carinho, e por que não dizer de amor?, por personagens absurdamente bem construídos como os pais de Mia, os "tios", os avós, a melhor amiga, o irmão fofo demais Teddy e o namorado Adam. Impossível ficar sem se emocionar!

Conforme li em outras resenhas, há várias mensagens diferentes que podem ser extraídas desse livro, mas a mensagem que ficou para mim é que não somos apenas nós mesmos, mas somos também um pouco de todos aqueles que tocamos, com os quais interagimos intimamente - família e amigos - durante toda nossa vida.

Infelizmente há alguns problemas de revisão no livro. Frases do tipo: "Com é que você está segurando a barra, hein?", uma ou outra frase faltando o verbo, o sobrenome de uma personagem é trocado (Brooke Vega vira Brooke Veja). Mas isso não tira o brilho do livro, na minha opinião e pode ser corrigido em edições futuras.

Capa da edição de 2009
Como vocês já devem saber, eu não curto muito livros com capas de filme, mas confesso que acho a cada da edição que saiu em 2009 pela Rocco horrorosa, então, pela primeira vez, prefiro a capa da Novo Conceito. 

E por falar em filme, Se eu Ficar estreia no Brasil dia 04/09 e tem no elenco a queridinha Chloë Grace Moretz como Mia, Mireille Enos (de The Killing e Guerra Mundial Z) e Jamie Blackley (de The Borgias e Branca de Neve e o Caçador) como o namorado de Mia.

Com certeza irei assistir! No vídeo abaixo, assista ao trailer legendado!