terça-feira, 28 de julho de 2015

Um pouco mais de maturidade, por favor! (Renata Lima)


Para não perder o costume de simplificar o que os autores gostam de complicar, vamos à ordem de leitura dos livros da Abbi Glines propostas pelos leitores!

1. Paixão Sem Limites (série Sem Limites ou Rosemary Beach 01)
2. Tentação Sem Limites (série Sem Limites ou Rosemary Beach 02)
3. Estranha Perfeição (série Perfection ou Rosemary Beach 03)
4. Amor Sem Limites (série Sem Limites ou Rosemary Beach 04) - resenha hoje!
5. Simples Perfeição (série Perfection ou Rosemary Beach 05) - resenha semana que vem
6. A Primeira Chance - previsão de lançamento ainda esse ano (Série Chance)
7. Mais Uma Chance - previsão de lançamento ainda esse ano (Série Chance)
8. You Were Mine (2014) - sem previsão de lançamento no Brasil

Nossa Avaliação - 6.5
Eu tenho certeza absoluta que algumas pessoas AMARAM esse livro, mas esse não foi o meu caso. A sofrência desse casal é algo digno de uma novela mexicana e, se eu já estava bem chateada com o segundo livro, imagina com esse terceiro! Mas vamos à resenha do "felizes para sempre" de Blaire e Rush. 

Cuidado, essa resenha contém spoilers dos livros anteriores!

No primeiro livro, o segredo de Rush o separou de Blaire; no segundo livro, quem voltou da separação com um segredo foi a própria Blaire e agora os dois estão juntos tentando levar uma vida normal até que o pai de Rush joga uma bomba na vida da família.

Se antes eu já achava Nan, a irmã de Rush, uma personagem insuportável, nesse livro ela consegue nos fazer desejar a sua morte por um raio. Ciumenta ao extremo, cheia de vontades e ainda implicando horrores com Blaire, Nan faz de tudo para acabar com o relacionamento dos dois.

Apesar de um pouco mais adultos, principalmente diante dos acontecimentos - há um bebê a caminho -, Rush e Blaire continuam brigando como duas crianças pelos motivos mais idiotas e isso já vinha acontecendo nos outros livros, eu sei, mas espera-se que o relacionamento dos dois mudasse, uma vez que agora eles têm certeza de que querem ficar juntos e ter o bebê. Mas será que têm mesmo?

A parte mais interessante desse livro (e a série poderia ter acabado no livro anterior) é dar o gostinho de que outros livros virão e explorarão personagens interessantes, como o Grant, por exemplo. 

No geral, não é um livro ruim ou mal escrito, mas é um desses livros que a gente não entende o porquê da enrolar tanto em uma história que poderia ser muito mais simples e direta e que mostrasse uma evolução na história do casal, o que não é o caso!

Espero ansiosamente que a história dos outros personagens sejam melhores desenvolvidas, principalmente a do Woods e da Della, em "Simples Perfeição" que será nossa próxima resenha! 

Até mais!

quinta-feira, 23 de julho de 2015

Mais um livro que todos deveriam ler antes de morrer... (Lucyclenia)

Thays Martinez perdeu a visão aos quatro anos de idade.  Como todas as crianças, ela tinha o sonho de ter um cachorro, sonho este que só veio a ser realizado em sua vida adulta.

Nossa avaliação: 100
Quando surgiu a oportunidade de realizar o tão grandioso sonho, Thays não pensou duas vezes: voou para os Estados Unidos. Lá, ela passou por um treinamento específico para receber o seu cão-guia. Chegando ao Brasil, ela decidiu dar mais um passo em busca de sua independência: morar sozinha. 

Passando juntos por um tempo de adaptação, Boris se tornou seu fiel companheiro. Além de episódios cômicos, este livro também nos mostra as dificuldades que a autora teve que enfrentar com a ajuda do seu guia e novo melhor amigo. 

Um episodio que mascou o livro foi o fato de Boris ter sido barrado na entrada do metrô, o que chamou a atenção de toda a imprensa da época. Foi preciso uma ação judicial para que Thays pudesse continuar a usar este meio de transporte para ir ao trabalho acompanhada de seu guia, decisão judicial esta que só saiu seis anos depois, garantindo assim o acesso de cães-guia em qualquer local público ou privado.

Acompanhamos esta dupla do início da amizade, suas descobertas e suas travessuras até a tão temida despedida.

Impressionante é a força e determinação de Thays, uma pessoa que mesmo com sua deficiência não se deixou abater. Estudou, se destacou e correu atrás dos seus objetivos até os conseguir.

Inspiração para todos nós!



terça-feira, 21 de julho de 2015

Falando poeticamente de dor e perda! (Renata Lima)


Antes de resenhar esse livro, quero agradecer ao pessoal do grupo de desafio de literatura nacional no Facebook chamado Literanacional administrado pela minha "prima" Luana Lima. Ganhei esse livro no desafio e não poderia ter sido melhor escolhido! Uma preciosidade! Obrigada!

Nossa Avaliação - 100
"Vermelho Amargo" é uma autobiografia dos momentos de infância, com seus doces e amargos, de Bartolomeu Campos de Queirós. Para quem acha que o livro, por revisitar a infância, é um livro fácil e bonito, é melhor rever seus conceitos. A infância em questão é revestida de momentos difíceis, como mortes, perdas, idas e vindas, descobertas e sofrimento.

A morte da mãe, a mulher doce e cheia de virtudes, é o pontapé inicial para o "esfarelamento" da família. Ao se casar novamente, o pai coloca em casa uma mulher fria, sem carinho, sem tato, e se entrega à bebida. E aos poucos a família se desfaz nas irmãs que saem de casa para servir à outras famílias em outros lugares, no irmão que come vidro, na irmã que só sabe tricotar. 

O que surpreende é que, apesar da crueldade dos assuntos, o autor consegue "falar" conosco usando uma linguagem muito suave e poética, o que nos encanta e nos toca mais do que se fosse uma narrativa simples e direta. Há metáforas lindíssimas, como a do tomate, a principal delas, que não vou destrinchar aqui porque acho essa a graça do livro, além das idas e voltas no tempo.

Como eu disse antes, apesar do livro não ser uma autobiografia saudosista no sentido de "como foi linda a minha infância", para mim foi uma preciosidade. O livro é curtinho, mas denso em sensações, por isso recomendo muito a leitura, principalmente porque nada do que eu disser aqui fará jus à experiência de lê-lo! E que edição linda da Cosac Naify!

Um dos que vou guardar com muito carinho!


quinta-feira, 16 de julho de 2015

Eu te amo mesmo antes de saber que era você... (Lucyclenia)


Você que leu "Um Caso Perdido" e "Sem Esperança" não pode deixar de ler o conto "Em Busca de Cinderela", da série Hopeless, que foi lançado no dia 2 de julho aqui no Brasil! 

Nossa avaliação: 100
Aqui, a narração em primeira pessoa é feita por Daniel, o divertido protagonista melhor amigo de Holder (protagonista dos livros anteriores) que põe apelido em todos que conquistam um lugarzinho especial em seu coração.

Por um erro em seu quadro de horários, Daniel tem seu quinto tempo livre e todos os dias, neste horário, ele vai se esconder no armário do zelador. 

Em meio a um leve cochilo, uma garota chorando entra e acaba tropeçando nele, que sente uma empatia tão grande por ela que a apelida de Cinderela. Surpreendentemente os dois se envolvem romanticamente, mas se despedem sem ao menos saber o nome e a aparência um do outro.

Uma semana depois, Cinderela acaba voltando ao armário e os dois conversam e, em meio à escuridão, se descrevem fisicamente um para o outro. Em meio a uma encenação de que se amam, Daniel diz pela primeira vez um "Eu te amo" a alguém. Mas os dois continuam tentando manter suas identidades ocultas e mais uma vez eles se despedem.

Um longo ano se passa, Daniel está namorando Val, uma menina extremamente insuportável, chata e cheia de mimimis. Cansado de engolir tudo calado, ele termina o namoro e corre pra espairecer a mente com Holder e Sky. É assim que acaba conhecendo Six, a melhor amiga de Sky.

Six é exatamente o oposto de Val, e, por este motivo, assim que bate o olho nela, Daniel já se sente atraído. O fato de Holder o ter proibido de se envolver com Six também pesa na balança. Correndo o risco de estragar sua amizade com Holder, Daniel e Six saem para jantar e já começam um namoro. Rápido, né, gente?

Porém este relacionamento fofo, sem dramas e frescuras, está preste a sofrer uma reviravolta porque Daniel nunca esqueceu sua Cinderela e está prestes a descobrir quem ela é. Agora ele precisa decidir o que fazer com essa informação e como agir diante de Six!
Eu hesito, quase decidindo ir contra isso, mas uma parte ainda maior de mim quer dizer isso. Uma enorme parte de mim deseja que eu realmente tivesse vontade de dizer isso e uma pequena parte de mim pensa que eu provavelmente poderia. Eu movo minhas mãos para cima e pelo cabelo dela. 'Eu te amo', eu sussurro.
Leitura leve, simples e objetiva. Um conto de fadas bonitinho que nos faz torcer pelo final feliz do casal. Ótimo pra quem que ler um livro com uma única sentada.

Super indico.
Até a próxima.